Resenha: O menino do pijama listrado – John Boyne.

20160203_215024

Companhia das letras – 2007 – Literatura estrangeira – 186 páginas – Nota 4♥♥♥♥.

Noite de quinta-feira, conforme combinado, estou aqui para falar desse livro incrível. Não há como falarmos de livros sobre a história mundial, especificando o holocausto, na época do nazismo e não citar este livro. O li há alguns anos atrás, mas o carrego na mente até os dias atuais. Livro pequeno, muito rápido de ler e de fácil entendimento. Serve bem tanto para quem quer ler sobre essa temida época, como quem quer um bom livro de história. A capa do livro faz jus à história contada e ao título do livro. Muito conhecido e já comentado, é quase impossível não se apaixonar por Bruno. Devo dizer que o filme também é muito bom, mas como sempre, não supera a leitura. Aos mais sensíveis fica o aviso que o volume pode despertar lágrimas sem que você perceba e consiga fugir, pois ele toca-nos pela sua forma sutil e triste. A narrativa do livro é em terceira pessoa e o autor utiliza uma linguagem bem simples e básica.

História de um garoto, Bruno, de nove anos, filho de um general de Adolf Hitler na época do nazismo que nada conhece a tragédia que o cerca. Apenas sabe que por motivo de trabalho, seu pai e sua família, incluindo ele tiveram que mudar de cidade e habitar uma casa triste, isolada e sem nenhum atrativo. Como o garoto disposto que é, se vê entediado por não ter com o que e nem com quem brincar. Em uma das suas caminhadas a esmo, encontra Shmuel, um garoto da sua idade, que está de pijama listrado, assim como todas as outras pessoas que estão atrás da cerca que os separa. Aos poucos uma amizade linda ganha forma e ele ajuda como pode seu amigo. Apesar de sua inocência, ele percebe que não deve comentar com sua família sobre seu amigo. Shmuel se mostra um menino retraído com medo, que não tem coragem de contar às coisas que presencia ao amigo. Mas o sentimento entre eles é algo tão singelo que vai contra todas as suas diferenças que se torna único. A ingenuidade de Bruno é tão palpável e cruel com ele mesmo, porque embora o protagonista não tenha conhecimento do que está acontecendo, nós leitores o temos e a dor talvez seja essa. O final, ainda que vago, o que poderia causar dúvidas e desconforto na realidade é tão forte porque ainda sim, sabemos exatamente o fim. Particularmente é um assunto que me afeta muito, desde sempre e acredito que nunca deixarei de ficar perplexa e triste. Recomendo e muito!

Até a próxima Quinta-feira!

Anúncios

Resenha: Seis anos depois – Harlan Coben.

20160131_161812

Editora Arqueiro – 2014 – Ficção americana – 272 páginas – Nota 4♥♥♥♥.

Comprei este livro motivada pela vontade de ler algum exemplar deste autor bastante conhecido e com muitos milhões de livros vendidos. Seu gênero de suspense também é algo que me atrai. Resolvi por esta história por ser recente e ter ouvido muitos comentários positivos a respeito. Difícil se torna fazer esta resenha, pois o livro é cercado de mistérios e segredos que seria maldoso revelar qualquer um deles. Então o resumo será breve, porém espero despertar o desejo em vocês para lê-lo. Livro em primeira pessoa, fazendo com que pensemos como se fossemos Jake. O livro é impresso em páginas grandes e letras pequenas, mas a leitura é ágil e fácil. O li em três dias. No decorrer da história aborda algumas questões como, por exemplo, o que é o certo e o errado e qual a linha tênue que os separa. Indaga sobre se os “fins justificam os meios”, sobre ética e moral e me cativou por causa disso.

Jacob Fisher, um professor universitário de trinta e poucos anos, inteligente e charmoso conheceu Natalie Avery em um retiro para artistas e escritores seis anos atrás. Ela era pintora e ele estava ali para escrever sua dissertação de doutorado. Apaixonaram-se e viveram semanas de felicidade e cumplicidade. Porém, ela termina o relacionamento com ele bruscamente dizendo que voltou com seu antigo namorado e um grande amor e irá se casar com ele. Jake presencia o casamento, ao lado dos familiares dela e aceita o seu pedido de se afastar para sempre. Ele nunca mais consegue amar outra mulher e mantem sua promessa ainda assim, porém seis anos depois, ele descobre que o marido dela faleceu e parte para o enterro sem pensar nas consequências, com o único intuito de revê-la e confortá-la, só que chegando lá, busca-a sem a encontrar. Parte então para a aventura de encontrar Natalie, mesmo que ninguém tenha conhecimento de onde ela está. Nesse caminho, ele começa a fazer descobertas de que as coisas não são o que parecem e a intrigante história de sua amada o leva a investigar sem se dar conta do risco que corre. Suspense e muita ação fazem parte do livro e aos poucos o mistério vai se desvendando. Uma história incrível que envolve muitos segredos e perigos. Descobre que existe muita ilusão e mentira em torno dela e em torno de si mesmo e que ele vinha convivendo com fantasias criadas. Mesmo todos à sua volta pedindo que ele desista de procurar, pelo bem de todos, ele não desiste e o fim é surpreendente. Um enredo muito extenso e bem trabalhado, que faz o leitor também suspeitar de todos, assim como o protagonista, que se mostra muito esperto e sagaz na busca de informações e de entender a real história por trás da fachada da sua vida. Conta com muitos personagens secundários que faz o leitor precisar ficar atento para não perder nenhuma informação relevante.

Até a próxima, resenha!