Resenha: Baía da Esperança – Jojo Moyes.

PhotoGrid_1464271354512

Intrínseca – 2016 – Romance inglês – 304 páginas – Nota 4.

Comprei este livro porque era o único que eu ainda não tinha lido dos que foram publicados no Brasil pela autora, a qual sou apaixonada. No quesito romance, não tem pra ninguém. O revés é que antes de iniciar a leitura, minha expectativa já estava nas alturas. Os livros dela são sempre densos, intensos, a leitura deve ser apreciada, as letras pequenas de cada página tornam o trabalho profundo. Você se apega à história aos poucos, com o passar das folhas, de forma lenta e gradual, mas nunca de forma tediosa ou insossa.

O título do livro se refere ao hotel da família Mostyn em Silver Bay, Austrália, uma vila à beira mar, onde a vida marítima tem destaque e dita o ritmo de vida dos moradores. Sobrevive dos turistas que visitam o local para passeios de barcos, na procura de golfinhos e baleias. Um vilarejo tranquilo que parece ultrapassado e perdido no tempo. O livro é narrado em primeira pessoa, dividido por muitos capítulos pela visão dos personagens principais, contando ainda com muitos coadjuvantes na história. Kathleen, tia de Liza, dona da pousada, Liza, a protagonista, uma mulher de trinta e dois anos cheia de mistérios, força e melancolia, Hanna, filha de Liza, uma menina doce e esperta. As três mulheres cuidam do hotel, do museu do local e têm um barco para passeio.

Outro protagonista é Mike, um empresário do setor imobiliário, morador de Londres, noivo de Vanessa, Filha de seu sócio na empresa, que nas vésperas do casamento é obrigado a partir para Silver Bay para investigar o local no qual Dennis, seu sogro deseja construir um hotel luxuoso e expansivo que mudará a rotina e a vida marítima do local de forma negativa. E o último protagonista é Greg, um morador de lá, amigo da família, que trabalha levando passageiros para passeios ao mar em seu barco comercial e se divorciou recentemente de uma mulher que não o amava mais e o traiu, abandonando o local depois, que vive bebendo e tentando um relacionamento com Liza.

Livro detalhista que ensina muito sobre pesca, mar, termos específicos e animais marinhos. O livro me incomodou um pouco na forma com os personagens são retratados. No fundo, a verdade é que Mike não me cativou de início, como deveria ser, sendo ele o destaque, apenas no decorrer da história e tampouco Liza. Meus personagens preferidos no começo eram Hanna, Greg, Yoshi e Lance, um casal amigo da família que têm um barco comercial também. Apenas na metade do livro criei empatia com Mike e Liza e torci por eles. A história fica imperdível da metade para o fim, embora alguns pontos, pra mim, não tenham feito muito sentido. Acho que este livro contêm menos acontecimentos do que os outros livros da autora, que você “piscava” e já perdia uma revelação. A história de Liza é dramática e comovente. Mas se eu pudesse destacar um personagem apenas, seria Hanna. Carismática, aventureira e compreensiva, é uma menina especial. Demorei seis dias para lê-lo, por estar em semana de provas, gostei do exemplar, mas não tanto quanto os outros cinco livros da autora. Talvez faça sentido o conhecido pensamento de que a prática nos leve a perfeição, pois Jojo só melhora e surpreende com o passar do tempo.

Valeu e até breve!  

 

Anúncios

Um comentário sobre “Resenha: Baía da Esperança – Jojo Moyes.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s