Resenha de Livro: O ar que ele respira – Brittainy Cherry.

PhotoGrid_1469140328462

Editora Record – 2016 – Romance americano– 308 páginas – Nota 5♥♥♥♥♥.

Começo esta resenha agradecendo minha irmã Jéssica Catosio por me apresentar esse livro lindo. Te amo um pouco mais agora ♥ haha.

Este livro foi escrito em 2015 pela autora sob o título original The air He breathes (tradução tendo sido fiel), descobri que minha irmã tinha comprado este exemplar que em um primeiro momento não me despertou muito interesse. Porém após começar a ouvir e ler boas críticas sobre ele na internet fiquei ansiosa para lê-lo. Tentei não ler nenhuma resenha antes para poder me surpreender. E assim aconteceu mais uma vez de o livro furar a extensa fila de livros comprados que estão criando pó no meu armário esperando minha leitura. Descubro assim que começo a ler que se trata do primeiro livro da série Elementos, onde pelo que eu entendi cada livro seria focado em um elemento, ao total de quatro, sendo ar, água, fogo e terra, como todos sabem. Uma autora nova, pelo menos eu nunca tinha ouvido ou visto algum livro seu, que escreve de maneira leve, didática e ágil. O livro é escrito em primeira pessoa, através do olhar dos protagonistas da história, Tristan e Elizabeth, tornando a leitura prazerosa e rápida, graças também as letras grandes e marcação de página espaçosa. O formato do livro é, talvez, um dos meus prediletos, onde os dois protagonistas contam através do seu ponto de vista a história separada apenas pelos muitos capítulos, o que traz dinamismo e mais realidade ao texto. Intercala muito bem entre os diálogos e os pensamentos de ambos, fazendo com que eu não quisesse parar de ler. Apesar de Tristan e Elizabeth serem o estereótipo clichê de romances em geral, a história particular deles e o romance foge bem à realidade e ao que estamos acostumados a ler, o que me agrada bastante, histórias novas e fora de padrões. O desenvolvimento natural com que eles se conhecem, se descobrem e se envolvem é excelente e traz alguns questionamentos morais ao leitor. Você consegue se conectar com os personagens, entender suas dores e mágoas e torcer para que fique tudo bem. Apesar de desde o início eu já imaginar o possível fim, como seria, ainda sim, isso não desmerece e desmotiva em nada o decorrer dos acontecimentos. Conta com personagens secundários positivos também, que agregam à história. Não quero dar mais informações do que as necessárias. Porém quero compartilhar que existiram três momentos do livro que eu levei aquele susto de surpresa que tanto me agrada nas leituras porque adoro o inesperado e houve um momento em que eu me emocionei para valer (momento entre Tristan e o pai dele). Apesar de saber, claro, que a história narrada foge à realidade devido a coincidências que seriam quase impossíveis de existir, gostei bastante da leitura, da história e da emoção que o livro me trouxe. O final não me surpreendeu, mas o meio do livro todinho, sim. Fica a recomendação.

Sinopse: Como superar a dor de uma perda irreparável? Elizabeth está tentando seguir em frente. Depois da morte do marido e de ter passado um ano na casa da mãe, ela decide voltar a seu antigo lar e enfrentar as lembranças de seu casamento feliz com Steven. Porém, ao retornar à pequena Meadows Creek, ela se depara com um novo vizinho, Tristan Cole. Grosseiro, solitário, o olhar sempre agressivo e triste, ele parece fugir do passado. Mas Elizabeth logo descobre que, por trás do ser intratável, há um homem devastado pela morte das pessoas que mais amava. Elizabeth tenta se aproximar dele, mas Tristan tenta de todas as formas impedir que ela entre em sua vida. Em seu coração despedaçado parece não haver espaço para um novo começo. Ou talvez sim.

Até muito breve, lindos. Boa sexta-feira.

Anúncios