Livro: É assim que acaba – Colleen Hoover.

Boa tarde leitores,
Este foi meu terceiro #livro da autora e gostei bastante. Me lembrou #amoramargo da Jennifer Brown. De início temos Lily, uma mulher que acaba de enterrar o pai, que sempre foi violento e abusivo com sua mãe, o que lhe causou traumas. Por acaso, ela conhece Ryle, médico, lindo e inteligente (blé), um personagem bem clichê que já detestei por ser o suposto homem perfeito que foge de relacionamento e nunca se apaixou na vida. E logo pensei, ah, agora será aquela velha história do rapaz que se transforma por amor à mocinha comum. Sério, não consigo me encantar com esse tipo de enredo. Porém, logo sou surpreendida. Temos Lily mudando de profissão e realizando seu sonho de abrir uma floricultura. Seu relacionamento com a mãe, que por causa do pai, sempre foi delicado. Temos sua memória em forma de releitura do seu diário, no qual ela escrevia para Ellen Degeneres sobre seu primeiro amor, Atlas. Esse personagem sim, eu amei do início ao fim. Atlas foi expulso de casa e morava numa casa abandonada, sendo vizinho de Lily. E eles se apaixonam de maneira intensa, fofa e verdadeira. Porém a vida o separaram e agora Lily está casada com Ryle. Ryle tem seus traumas de infância também, o qual moldam parte de seu caráter. Ciumento, com o passar do tempo, Lily se vê repetindo a história da própria mãe, sob um novo ponto de vista, aquele em que é difícil julgar pois é você quem vive. O tema central é violência doméstica, aqui fica o aviso de gatilho. Sobre coragem e força. Sobre recomeço. A #leitura é fluída, os capítulos são curtos. Os personagens são interessantes, a cunhada e funcionária de Lily é uma personagem secundária cativante. Recomendo.

#éassimqueacaba #colleenhoover
#galerarecord #2018 #ficcao #infantojuvenil #americana #notaquatro #leitora #lendo #literaturaestrangeira #dicadelivros

Beijos e até a próxima .

Livro: O sorriso da hiena – Gustavo Ávila.

Boa noite leitores,
HÁ SPOILER!
Finalmente pude ler essa obra que já era desejada há anos. Muita expectativa e ele cumpre bem. Um #thrillerpsicologico nacional, que entrega o #suspense esperado, com narrativa fluída, com personagens misteriosos e uma história criativa. Uma grande diferença nele é que o assassino é revelado logo de início e o que nos mantém #lendo é a busca de solucionar o caso. Temos três personagens masculinos como protagonistas. O detetive Arthur, com uma questão incomum, a síndrome de Asperger. William, o psicólogo que acredita que a #ciencia é mais importante do que tudo, o que o faz ultrapassar limites éticos e humanos e o serial killer, David. O único ponto que me incomodou foi o final, ficando em aberto no todo. Amei a capa e o título.

Atormentado por achar que não faz o suficiente para tornar o mundo um lugar melhor, William, um respeitável psicólogo infantil, tem a chance de realizar um estudo que pode ajudar a entender o desenvolvimento da maldade humana. Porém, a proposta feita pelo misterioso David coloca o psicólogo diante de um complexo dilema moral. Para saber se é uma pessoa má por ter presenciado o brutal assassinato dos seus pais quando tinha apenas oito anos, David planeja repetir com outras famílias o mesmo que aconteceu com a dele, dando a William a chance de acompanhar o crescimento das crianças órfãs e descobrir a influência desse trauma na vida delas. Até onde ele será capaz de ir?
“É possível justificar o mal quando há a intenção de fazer o bem?”
Essa questão não me convenceu, talvez por não termos resposta sobre esse suposto “bem” que seria criado através do estudo. Não houve sentido nas mortes. Como disse Arthur, a própria aceitação da proposta já mostra que para praticar o mal basta querer.

#osorrisodahiena #gustavoavila #verus
#2017 #romancebrasileiro #literatura #nacional #notaquatro #leitora #dicadelivro

Beijos e até a próxima .

Livro: Na hora da virada – Angie Thomas.

Bom dia leitores,
Estava ansiosa para ler esse #livro porque a Angie me conquistou com o anterior.
Leitura rápida, ágil, com personagens cativantes e importantes. Perspectivas diversas e temas cruciais, uma história bem construída e fluída.
A autora tem a genialidade de trazer questões dificílimas de forma leve. #Racismo, #drogas, #segregação, questões de #gênero e #classe, é uma aula sobre como a humanidade falha. A Brianna, nossa protagonista é uma jovem consciente e corajosa que sonha em ser uma rapper de sucesso. Encontra na música o poder de ter voz pra combater todas as injustiças. Sua mãe, seu irmão, seu amigo gay são escritos de forma impecável e seu novo amor é um bálsamo. Não é minha obra favorita, mas com certeza eu #recomendo.

Bri é uma jovem de dezesseis anos que sonha se tornar uma das maiores rappers de todos os tempos. Ou, pelo menos, ganhar sua primeira batalha. Filha de uma lenda do hip-hop underground que teve o sucesso interrompido pela morte prematura, Bri carrega o peso dessa herança. Mas é difícil ter a segurança de estrear quando se é hostilizada na escola e, desde que sua mãe perdeu o emprego, os armários e a geladeira estão vazios. Então, Bri transforma toda sua ira em uma primeira canção que viraliza… pelos piores motivos! No centro de uma controvérsia, a menina é reportada pela mídia como uma grande ameaça à sociedade. Mas com uma ordem de despejo ameaçando sua família, ela não tem outra escolha a não ser assumir os rótulos que a opinião pública lhe impôs. Na Hora da Virada dá aos leitores de Angie Thomas outra protagonista pela qual torcer. É uma história sobre lutar por seus sonhos e também sobre a dificuldade de ser quem você é, não quem as pessoas querem que você seja.

#nahoradavirada #angiethomas #galerarecord #selojovem #2019 #ficcaoamericana #notacinco #lendo #leitora #literaturaestrangeira #dicadelivro